sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Acordo... possível.

Afinal, houve mesmo acordo. Há dois dias atrás, após declarações infelizes, para não dizer graves, de Isabel Alçada, esse acordo parecia muito longe. No entanto, e depois de uma maratona de 14 horas, viu-se uma luz ao fundo do túnel e o ECD começa a parecer mais aceitável. Apenas isso. Clamar vitória não me apetece, mas houve recuos do governo e houve melhorias relativamente às ideias anteriores.


- Todos os professores com Bom podem aceder ao topo da carreira.

- Deixa de haver constrangimentos no acesso ao 3º escalão.

- Nas vagas para o 5º e 7º escalões não serão contabilizados os professores com Muito Bom e Excelente.

- Para aceder ao 3º e 5º escalão é necessária uma avaliação com observação de aulas.

- Os professores que já tenham leccionado e com pelo menos uma avaliação mínimo do Bom deixam de ser obrigados a realizar a prova de ingresso.


Já estão marcadas novas rondas de negociação para limar alguns aspectos, e tratar de novos assuntos, tais como a carga horária, regime de trabalho, faltas, aposentação, entre outros. Li ainda algures que no próximo ano haverá novo concurso nacional para todos os professores (carece de confirmação).

2 comentários:

Pedro disse...

Este ano estou a dar aulas é o primeiro ano. Fiz o Ramo de Formação Educacional. Sou profissionalizado. Entrei através da bolsa de recrutamento e o meu contrato termina no final de Agosto de 2010. Para o próximo concurso tenho que fazer a prova de ingresso?

visiense disse...

Pedro, pelo que percebi da proposta que foi acordada, terá que ter uma avaliação de bom neste ano lectivo. É uma questão de questionar o Director, ou um dos assessores sobre a sua avaliação deste ano.

Tempo de serviço já terá, visto já ter começado a trabalhar, falta ter a avaliação.