quarta-feira, 9 de julho de 2008

Avaliação de desempenho na graduação - completamente em desacordo!

Foi-me chamada à atenção, no site Professores Lusos, uma notícia que tem tudo para ser arrepiante e assustadora, mas que surpreendentemente, pouca reacção tem merecido dos professores. A notícia refere-se a dois pontos: à integração dos professores QZP's em quadros de agrupamento, já aqui comentado (ver aqui) e à introdução da avaliação de desempenho como critério de graduação, para efeitos de concurso.

Notícia completa


É preciso relembrar que este critério para a graduação não está prevista no novo ECD, nem sequer nos vários decretos sobre a avaliação. Foi uma invenção de última hora, com motivações e resultados indefinidos. E a informação, para já, é pouca. Ficam dúvidas para esclarecer, entre as quais:

- sairá um novo ECD?

- como se irá usar a avaliação de desempenho na graduação: considerando-se a menção qualitativa ou a classificação quantitativa?

- a avaliação deste ano já será considerada?

- qual o seu peso?


Quanto à terceira dúvida, deixo apenas aqui um exemplo do que aconteceu na minha escola. Tendo vários contratados a nota máxima na assiduidade, a classificação quantitativa foi diferente. Dir-me-ão, isso é normal. Sim, seria normal, se tivessem sido usados dados para essa diferenciação. Quando apenas dão "notas" de acordo com o tipo de assiduidade, alterando conforme se faltou por doença ou por outro tipo de situação, as restantes notas, isso é imoral, e acaba por acabar em situações de injustiça. E se as classificações deste ano forem consideradas numa futura graduação, teremos graves problemas, visto que não há critérios iguais de escola para escola. E mesmo quando tivermos esta avaliação a funcionar em pleno, sabemos muito bem que os critérios e as formas (pessoais) de avaliar não serão as mesmas, e mais uma vez, acabamos entregues à sorte...


PS: Espero que os sindicatos sejam firmes neste ponto. Já perderam, (perdemos) quase totalmente na questão da avaliação, apesar da contestação massiva dos professores, já meteram o pé em várias outras questões, como a prova de ingresso (reacção muito tardia), entre outras... Aguardo!

1 comentários:

paulo g. disse...

Isto vai ser a completa perversão dos concursos.