domingo, 6 de abril de 2008

Rir ou levar a sério? Eis a questão.

"A ministra da Educação desmente que alguma escola tenha pedido a suspensão do processo de avaliação dos professores. Maria de Lurdes Rodrigues admitiu que há problemas em algumas escolas, mas reiterou que o processo é para continuar."

“Não há nenhuma escola que tenha pedido a suspensão”, afirmou. “O que se passa é que há manifestação de preocupação, de um desejo de não concretização da avaliação por parte dos professores”, mas sublinha que isso “não pode ser confundido com a posição da escola”.

“Nenhum conselho executivo de qualquer escola pediu a suspensão da avaliação. O que as escolas pedem a Ministério da Educação é apoio para os diferentes modelos de avaliação que estão a tentar adoptar e concretizar em função dos seus recursos”, acrescentou.

No entanto, Maria de Lurdes Rodrigues reconhece que há escolas com “dificuldades na concretização da avaliação”, mas sublinhou que “o processo está a avançar em todos os estabelecimentos de ensino, embora com ritmos e condições diferentes”.

“O que é preciso é cumprir os que está estabelecidos nos regulamentos e é isso que as escolas estão a fazer. A posição das escolas é fazer a avaliação, ultrapassando os problemas que têm, e que são muitos”, acrescentou.

Para a ministra da Educação a suspensão é “uma solução que não está disponível, porque redundaria em prejuízo para os professores, que assim ficariam impedidos de progredir na carreira”.

in RTP


Esta intervenção de MLR tem tanto de insano, como de perigoso e provocador!

Começando pela intenção de querer convencer que tantas tomadas de posições de maiorias de professores e Conselhos Pedagógicos de várias, imensas, escolas, não existiram. Tirando aqueles que têm umas palas à frente dos olhos e os completamente alheados do assunto, os restantes devem-se ter rido a bom rir com esta afirmação! MLR faz-me lembrar aquele célebre general iraquiano, que mesmo quando tudo estava perdido, continuava a dizer para a comunicação social que os EUA estavam prestes a ser derrotados! Agora, ou é pura insanidade da ministra, ou pensa que dizer a mesma mentira vezes e vezes sem conta é o suficiente para a tornar verdade...

Quanto à última frase, já a acho mais pensada e mais calculista! É uma ameaça, pura e dura! Mas, e se esta avaliação fosse suspensa este ano lectivo? Porque não poderiam os professores progredir na carreira? O que impediria o ME de autorizar que os professores fossem avaliados pelo modelo anterior? Pois, esqueci-me: isso é impossível, já que teriam de admitir que afinal existia uma avaliação, ao contrário do que têm alardeado!...

1 comentários:

Peixoto disse...

Ou a Ministra não sabe o que se passa nas escolas ou pretende enganar, por completo, a opinão pública acerca do caos de reina no mundo da Educação em Portugal...
Já sabíamos que o ME prefere dialogar com os PCE`s do que com os professores. Agora, mentir é que não...